Tecnologia e o aumento da acessibilidade.

Cadeirante e deficiente visual com camisetas vermelhas na frente de uma tela azul com simobolos de cadeirante e deficiente visual. em uma sala.
A tecnologia rompe barreiras quando falamos de acessibilidade.

 segundo o último censo demográfico do IBGE 6,2% da população brasileira tem algum tipo de deficiência, são 45 milhões. Diante disto, estabelecimentos e plataformas de tecnologia estão adequando seus serviços de acessibilidade para melhor atender esse público.

Para que possamos colocar em prática, com total incrementação, os direitos de ir e vir de todo cidadão devemos dar à eles o direito de acessibilidade.

cadeirante e deficiente visual vestidos com camisas vermelhas na frente de uma tela em azul com simbolo de cadeirante e deficiente visual.
tecnologia e acessibilidade.

Conscientização à acessibilidade da Prefeitura

A prefeitura de São Paulo tem o manual de acessibilidade com diretrizes arquitetônica de construção e reforma de ambientes. Para oferecer acessibilidade à pessoas com algum tipo de deficiência e mobilidade reduzida. Além de incrementar essas diretriz nas novas construções de lugares públicos como as linhas de metro e passeios.

Conscientização à acessibilidade com Arte

Essa conscientização também vai para arte, na capital de São Paulo jovens grafiteiros criaram o projeto “Sem rampa calçada é muro” eles levam para as calçadas os grafites do muros. Quando não há acessibilidade calçada é muro para quem possui alguma deficiência mobilística.

guia de uma calçada de congreto com  a frase em grafite ''cadê a rampa?'' em verde.

Plataformas digitais oferecem acessibilidade

Plataformas digitais também estão à frente para tornar o mundo mais acessível. Google, airbnb, uber e aplicativos como o RodaSp trazem informações sobre acessibilidade à um público cada vez mais ativo graças a essa onda de tecnologia e conscientização.

Como resultado estabelecimentos também estão incrementando reformas em seus espaços para tornar o ambiente mais democrático. Não apenas pela norma mas também como um diferencial. Restaurantes, padarias, academias, bares e hotéis de São Paulo são alguns exemplos.

Sabemos que ainda há muito para adaptar mas estamos no caminho.

Amanda Dias – Co-fundadora do aplicativo RodaSp.

O aplicativo Rodasp apresenta uma plataforma intuitiva de busca, com a opção de lugares próximos a sua localização com acessibilidade além de oferecer a melhor rota. Ele está disponível no google play e app store.

Deixe uma resposta

Instagram
%d blogueiros gostam disto: